01/12/2006

Minhoca no MQ!

Fomos passear no Museumsquartier. Construido no sec. XVIII como Estabulo da familia real. O monumento barroco sobreviveu mal ou bem (pelo menos a fachada) a duas gerras. Demoraram 6 anos(!) discutindo sobre como utilizar o espaço de 60.000 metros quadrados no coração da cidade. O resultado saiu em 2001, apesar de várias críticas e intrigas, é um espaço com museus de arte moderna, contemporanea, museu para crianca, teatro para adolescente, teatro da dança, atelier para artistas, moda, lojas, livraria, restaurantes, cafés e no pátio interno muito espaço para os meus pintinhos correrem. Enfim, tudo de bom.

Passando pelo pátio do MQ, de repente Thadeuzinho grita:
-“Sai daí mamãe por quê a casa tá caindo!” E apontou para cima, puxando a gente na diração oposta. Tranqulizei o guri. -“Ah, me filho, isto não está caindo não! É uma escultura do Erwin Wurm...”
-”Quem? Wurm? (=Minhoca). Nossa, maaaãe, então ele tem minhoca no nome e na cabeça também, né?

E no meio deste mundo lindo e galmoroso, achei engraçado ver a bolsinha de chapinha de cerveja pendurada na loja chiquérrima do museu. Das favelas, ela deve ter passado pelas areias de Copacabana e, descoberta por algum artista, veio parar aqui em Viena. Ela reinava na frente de Livros sobre Matisse, passando por cima de Lomos, IDs e Visionaire. Tava toda orgulhosa, bonitona como se quisesse me dizer: “Nascí pobre, virei chique”

Anoiteceu e fomos tomar um Kinderpunsch nos quiosques que montaram no pátio. As construções parecem casas de Esquimó mas na verdade são feitos de módulos que no verão se transformam em grandes sofás espalhados pelo pátio.


Última foto: Lisi Gradnitzer
Pra quem quiser conhecer: Panorama do MQ
Site do MQ em espanhol