08.08.2006

cap. 5_ marcela 1


quando abrí a porta e dei de cara com ela meio sem graca, meio gordinha, percebií tudo: sou eu há uns 20 anos atrás! ela já estava em viena e foi recomendada por uma amiga que a trouxe de salvador, chegou meia hora atrasada e a única desculpa que deu foi: "poxa, o élevador tá quebrado! tive que vir de escada......" (detalhe: eu moro no 3. andar!) coloquei chá na mesa, queijos, pao e conversamos sobre ela, sobre o que veio fazer em viena ("ué, genti, morar, viver, ué, sei lá!), sobre a cidade ("é tão linda!") e os meus filhos (ó genti, cóisa linda! meu rei") encheu a casa com aquele astral descompromissado baiano, aquela cantoria no falar. eu toda preocupada em explicar os deveres e obrigacoes, o que é aonde, o que pode e o que nao pode e etc. ela sempre sorrindo, leve, solta. me lembrou da verinha paulista: "meu, eu adoro baiano, sabe pq? pq baiano não tem paranóia!" é, ela era tão simples, tão pura.......mas o outro lado da moeda é que apesar de estar há algum tempo em viena, parecia que ainda não tinha chegado! tirando um ou outro "ménino" que conheceu, convivia todo o tempo com baianos. só falava danke(obrigado), bitte(por favor) e wie geht(como estás). continuamos nossa conversa aproveitando que as criancas foram dormir cedo. ela me disse que acha "um absurdo a pouca higiene das pessoas aqui, não tomam banho todo dia, que horror, eu mesma tomo 2 por dia" eu escutava calada. "conheci um gatinho, a gente se encontrou várias vezes até que um dia ele me levou pra casa dele e bejinho pra lá e beijinho pra cá, pega dalí pega de cá, afastei ele um pouco e falei: tudo bem, eu vou pra cama com vc mas quem vai tomar banho primeiro agora vc ou eu?". rí muito e ela continuou:"pq vc tá rindo? em salvador é assim, óh genti!....foi legal mas ele nunca mais me procurou........" notei que ela cheirava todos os queijos e nao provou nenhum. passei uma boa porcao de roqueffort no pão e dei pra ela: "abra a boca, coma!". " mas eu não gost.......". "coma!". "hum, hum hum..........gostoso, muito gostoso, esse é um dos mais fedorentos mas gostei, muito bom". "pois é, tá vendo este verdinho aqui no queijo? é mofo, o queijo é mofado, ele fica num porão por meses mofando, aliás amadurecendo." "mas...mas......o pedaço que vc me deu não tinha mofo não né?". "claro que tinha! " por dentro eu me divertia, a cara dela era de espanto, como pode ter gostado daquele fedor? mas ela gostou e gostou tanto que a partir de então os queijos quanto mais fedorentos mais rápido desapareciam na boca de marcela. e eu pensava, chegou crua aqui em casa mas sairá no ponto!